Menu
Busca sábado, 17 de agosto de 2019
(37) 99964-0995
Farmamed novo

Conselhos Profissionais impedem o exercício de trabalhadores não habilitados

A atuação desses órgãos defende a sociedade da prática ilegal das atividades técnicas, garantindo que existam profissionais legalmente habilitados na condução dos serviços.

04 abril 2018 - 17h37Por Pedro Machado/Imprensa Crea-Minas

CFC-categoria-carreta.png

A garantia de um bom serviço prestado leva muitas pessoas a procurarem por um bom profissional, que seja habilitado e capacitado para exercer determinada função. Porém, a diversidade de oferta no mercado faz com que a escolha, muitas vezes, não seja a mais adequada, ocasionando transtornos e contratempos. A atuação dos Conselhos Profissionais vem, nesse sentido, auxiliar a sociedade ao protegê-la de trabalhadores inabilitados e de práticas ilegais.

Os Conselhos Profissionais se destinam à regulamentação e à fiscalização de determinadas profissões que possuem legislação específica, é o caso da engenharia, agronomia, medicina, odontologia, entre outras. Segundo o site do Ministério do Trabalho, existem hoje no Brasil 68 profissões regulamentadas, com o estabelecimento das obrigações, dos direitos e deveres para cada profissional. “O Conselho é um braço do governo federal para fiscalizar o exercício profissional dessas categorias que são regulamentadas. Se não existissem os Conselhos, qualquer pessoa sem competência e sem habilidade poderia executar qualquer profissão, o que colocaria em risco toda a sociedade. O objetivo é garantir que o exercício profissional seja feito por um trabalhador com habilitação pra exercer aquela função”, detalha o superintendente de Fiscalização e Atendimento do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas), engenheiro agrônomo Humberto Rodrigues Falcão. A matéria continua depois da publicidade.

Na área tecnológica, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) é a autarquia que regulamenta o exercício profissional da engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia, e o Crea de cada estado é o responsável por fiscalizar essas atividades, conforme prevê a Lei Federal 5.194/1966. A função do Crea-Minas é defender a sociedade da prática ilegal das atividades técnicas, garantindo que existam profissionais legalmente habilitados, com conhecimento e atribuições específicas, na condução dos empreendimentos da área tecnológica.

Falcão explica que o foco da fiscalização do Crea-Minas é verificar se em uma determinada atividade da área tecnológica existe um responsável técnico, que seja um profissional habilitado, registrado no Crea e que tenha formação para exercer a função. “Em uma obra civil, por exemplo, vamos verificar se há um engenheiro conduzindo a obra, se ele possui atribuição para aquela função e se ele emitiu a Anotação de Responsabilidade Técnica (A.R.T.)”.

Segundo Falcão, as pessoas costumam negligenciar a necessidade de contratação de profissional, inclusive na agronomia. “É comum produtores rurais, que não têm formação técnica, utilizar defensivos agrícolas que prejudicam a qualidade do solo e, consequentemente, de todo o seu cultivo. A presença de um engenheiro agrônomo na atividade evita esse prejuízo, além de garantir a boa qualidade da produção”, comenta.

Publicidade

Deixe seu Comentário

SACOLÃO AVENIDA
Agro KZ

Leia Também

Ibiá
Após capotamento, bandido que participou de assalto em Abaeté é preso pela PM na BR-262 em Ibiá
Santa Rosa da Serra
Acontece neste sábado em Santa Rosa da Serra o “Dia do Evangélico” com Jonas Vilar
Geral
Remédio para cólica menstrual tem efeito para tratar esquistossomose
Campos Altos
Paróquia Santa Terezinha realizará Quermesse com apresentações artísticas neste sábado
Minas Gerais
Três irmãs são estupradas por amigo da família aproveitando estado de embriaguez dos pais
Geral
Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 24 milhões
Campos Altos
Festa do Peão de Campos Altos ganha mais uma atração; Guilherme e Benuto vão abrir a festa
Geral
Mulher corta pênis do marido e tenta entregá-lo à suposta amante dele
FIES
Após instabilidade nos portais, MEC prorroga prazos do ProUni e do Fies
Saúde
Ansiedade: quando deixa de ser saudável e se torna uma doença