Menu
Busca domingo, 21 de abril de 2019
(37) 99964-0995
Farmamed novo
Gerais

STF julga redução de salário e jornada dos servidores defendida por Zema

08 fevereiro 2019 - 19h40Por BHAZ

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar no fim deste mês a ação defendida pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que visa reduzir a jornada de trabalho e os salários dos servidores públicos do Estado. A Ação Direta de Inconstitucionalidade 2338 (Adin) será apreciada pelos ministros da Corte no dia 27 de fevereiro.

O processo foi ajuizado pelos partidos PCdoB, PSB e PT em julho de 2000. Eles questionam o artigo 23 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) que diz que, caso a despesa total com pessoal ultrapasse o limite de 49%, o corte no excedente poderá ser feito por meio das reduções (confira o artigo na íntegra abaixo).

Caso o STF julgue a ação como improcedente, o artigo passa a ser válido, possibilitando que Minas consiga aliviar as contas com o funcionalismo público por meio das reduções de carga horário e salário.

Em dezembro de 2018, durante um evento em São Paulo, Zema disse que, ao lado de outros governadores, formaria uma frente de pressão para que o STF adotasse medidas para aliviar as contas dos Estados endividados.

“Esta Adin é uma questão que possibilita aos Estados reduzirem salários e carga horária, o que ajudaria a aliviar as contas públicas, mas que ainda não foi analisada. Seria uma medida muito bem-vinda pelos Estados porque eles têm tido hoje despesas que sobem de elevador e receitas que têm subido pela escada”, disse Zema na época.

A ação corre na Justiça há mais de 18 anos. A Adin era de responsabilidade do ministro Teori Zavaski, entretanto, após sua morte em um acidente aéreo, a medida está nas mãos do ministro Alexandre de Moraes.

Artigo 23 da LRF

“Se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão referido no art. 20, ultrapassar os limites definidos no mesmo artigo, sem prejuízo das medidas previstas no art. 22, o percentual excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço no primeiro, adotando-se, entre outras, as providências previstas nos §§ 3º e 4o do art. 169 da Constituição. § 1o No caso do inciso I do § 3º do art. 169 da Constituição, o objetivo poderá ser alcançado tanto pela extinção de cargos e funções quanto pela redução dos valores a eles atribuídos.

Confira a lei na íntegra clicando aqui.

Publicidade

Deixe seu Comentário

BIG NUNES
CASA DE CARNES RESENDE

Leia Também

Minas Gerais
Covardia: Jogou óleo quente no rosto da ex-namorada enquanto ela dormia e fugiu
Educação
MEC prepara material para explicar nova política de alfabetização
Saúde
Autoexame da mama não substitui exame clínico, diz Ministério da Saúde
Saúde
Campanhas buscam elevar cobertura vacinal no país
Geral
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio estimado de R$ 60 milhões
Saúde
Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda-feira
Córrego Danta
Três pessoas ficam feridas após caminhão tombar na BR-354, em Córrego Danta
Educação
Governo federal lança programa Ciência na Escola
Internacional
França alerta sobre uso de ibuprofeno e cetoprofeno
São Gotardo
Moto furtada em Campos Altos é recuperada pela PMR na MG-235 em São Gotardo