Pai que estuprou filha por seis anos é condenado a mais de 21 anos de prisão, em Bambuí

Por Marco Antônio / TV Bambuí 05/10/2018 - 08:30 hs
Foto: Google
Pai que estuprou filha por seis anos é condenado a mais de 21 anos de prisão, em Bambuí
Tribunal de Justiça de Minas Gerais – Comarca de Bambuí.


O Tribunal de Justiça de Minas Gerais – Comarca de Bambuí condenou em 21 anos e 8 meses de prisão um homem, de 49 anos, pelos crimes de estupro qualificado e estupro de vulnerável. O autor abusou sexualmente de sua própria filha mais de 6 anos, quando os crimes começaram a vítima na época tinha apenas 8 anos. A setença foi divulgada na quarta-feira (03).

A vítima morava com seu pai, mãe e um irmão em uma fazenda na zona rural de Bambuí.

A psicóloga que ouviu a vítima relatou que; em seu relato, a adolescente contou que os abusos iniciaram quando estava prestes a completar oito anos de idade e que, antes disso, a relação com o pai era de cuidados e afeto. Relatou que os episódios de violência sexual começaram em uma noite na qual estava com medo do escuro, solicitou a presença da mãe em seu quarto e a mãe pediu para que o pai fosse atender ao chamado da filha. Nesta noite, lembra-se de que o pai a molestou e que nas noites seguintes passou a violenta-la também através de conjunção carnal.

Durante a entrevista, recordou que no início não era capaz de entender o que estava acontecendo e que pai pedia para que não contasse para ninguém. Em nome do carinho que sentia pelo pai quando ainda criança, atendia ao seu pedido de manter segredo. À medida que foi crescendo, entretanto, começou a entender que estava sofrendo uma violência e tentava impedi-lo (pedia para que não fizesse, dizia que não queria e chegava até a dispensar-lhe chutes, murros e empurrões), mas este começou a ameaça-la com uma faca durante os estupros. Ainda, relatou que sofria também a ameaça de que sua mãe seria morta caso resolvesse contar a alguém sobre a violência que sofria.

O crime foi descoberto quando a vítima procurou uma professora de sua escola e narrou todos os fatos.

Com as informações do crime o Conselho Tutelar e a Polícia Militar começaram a rastrear o pai da adolescente, porém o mesmo fugiu levando o irmão da vítima. Posteriormente o autor foi preso pelo pela polícia em Ibiá/MG, escondido em uma residência na zona rural do município.

O autor dos crimes já tinha sido condenado pelo mesmo crime, quando abusou sexualmente de outra filha em Ibiá/MG, porém estava foragido da justiça.

Diante de todos os fatos a pena de C.R.L. pelos crimes de estupro qualificado e estupro de vulnerável ficou concretizada em 21 anos e 8 meses de reclusão em regime fechado. O réu não poderá apelar em liberdade, caso queira, vez que neste momento estão presentes requisitos do artigo 312 do CPP, especialmente a necessidade de garantir a aplicação da Lei Penal, já que o Réu estava foragido quando praticou os crimes em questão.