Menu
Busca domingo, 13 de outubro de 2019
(37) 99964-0995
Farmamed novo
Minas Gerais

Morador de rua é queimado vivo no interior de Minas

11 julho 2019 - 09h15Por Estado de Minas

Está internado na Santa Casa de Montes Claros, no Norte de Minas, o morador de rua André José de Santos, de 44 anos, apelidado de "Grilo",  que teve queimaduras de segundo e terceiro graus no rosto e na perna esquerda, depois que uma pessoa ateou fogo no corpo dele, no Centro da cidade, na tarde de terça-feira.  

A assessoria da Santa Casa informou que o quadro do paciente é estável, e passou por cirurgia na manhã dessa quarta-feira.  

De acordo com a Polícia Militar (PM), o morador de rua informou que, na tarde de terça-feira ingeriu bebida alcoólica e que, em seguida, deitou na calçada e teve um "sono profundo", na Rua Grão Mogol, perto da Catedral de Nossa Senhora Aparecida, no centro da cidade. 

Ainda segundo a PM, o homem revelou que acordou com o corpo em chamas e pediu ajuda. Ele foi socorrido por integrantes da equipe de apoio social "Consultório na Rua", da Prefeitura de Montes Claros,  e encaminhado ao pronto socorro da Santa Casa. 

A vítima informou para os policiais que não envolveu em nenhuma confusão e não sabe quem ateou fogo em seu corpo. Os sistemas de vigilância eletrônica de lojas da Rua Grão Mogol também foram averiguados. Porém, o ataque ao morador de rua não foi registrado por nenhuma câmera. Com o isso, o autor da agressão não foi identificado. 

A Pastoral do Povo de Rua, da Arquidiocese de Montes Claros, divulgou “ nota de repúdio”, lamentando o ataque a André Santos. A nota repudia a “violação de direitos da população em situação de rua em Montes Claros”. 

“Pessoas como o André, infelizmente, encontram-se em posição de extrema vulnerabilidade, carentes de garantias e direitos mínimos previstos na Constituição Federal de 1988. Barbáries assim violam o princípio máximo do Estado democrático de direito, a dignidade da pessoa humana”, diz  a nota, assinada pela por Sônia Gomes de Oliveira, do Setor Social da Arquidiocese de Montes Claros. 

A Pastoral do Povo de Rua diz ainda: "estamos buscando informações mais detalhadas até para tomar as providencias necessárias junto aos órgãos competentes. Não é possível imaginar o que levar uma ser considerado "Humano", fazer um ato bárbaro como este com o seu semelhante. É urgente apurar os fatos e ao mesmo tempo efetivar as politicas publicas de moradia, acolhimento e atendimento para esta população".

Publicidade

Deixe seu Comentário

AGROCAMPO
Josiel Despachante

Leia Também

Campos Altos
Campos Altos: falecimento ocorrido nesse sábado (12)
Minas Gerais
Funerária é condenada em R$ 20 mil por não preparar corpo adequadamente
Geral
Quebra-molas instalados na BR-262 causam dois graves acidentes em menos de 24 horas
Direitos Humanos
Infância refugiada: 10 mil crianças venezuelanas já entraram no Brasil
Geral
Acidentes de trânsito com crianças geram 9,8 mil indenizações este ano
Campos Altos
Milhares de fiéis passam pelo Santuário em Campos Altos na Festa de Nossa Senhora Aparecida
Geral
Irmã Dulce será reconhecida como santa neste domingo
Economia
Secretário reafirma que Petrobras, Caixa e BB não serão privatizadas
Minas Gerais
PM Ambiental multa em mais de R$22 mil autor de posse irregular de pássaros da fauna silvestre
Minas Gerais
Mineiro é preso após transformar mulheres e adolescentes em escravas sexuais