Minas Gerais
14h32 24 Agosto 2021
Atualizada em 24/08/2021 às 14h35

Interrupções na rede elétrica por causa de queimadas aumentaram 6,4 vezes, diz CEMIG

Por Marcelo The Back - Jornalista - MTB: 0020754/MG
Marcelo The Back - TV KZ
Incêndio em vegetação no município de Córrego Danta/MG

O número de clientes prejudicados por queimadas na área de concessão da Cemig aumentou 6,4 vezes nos sete primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2020, afirmou a concessionária. De janeiro até julho deste ano, a companhia registrou 145 queimadas que interferiram no funcionamento da rede elétrica, interrompendo o fornecimento para mais de 277 mil clientes, ante as 93 ocorrências que causaram interrupção para cerca de 43 mil clientes no mesmo período do ano passado.

No Triângulo e Alto Paranaíba, apenas nos sete primeiros meses de 2021, conforme a Cemig, foram registradas 17 queimadas que afetaram a continuidade do fornecimento de energia para quase 26 mil clientes, ante 15 ocorrências que interromperam o fornecimento de energia para 7,5 mil clientes em 2020 na mesma região.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o estado de Minas Gerais registrou um aumento de 104% no número de focos ativos nos primeiros sete meses do ano, quando comparado com o mesmo período de 2020, ficando 65% acima da média anual. Este aumento significativo tem relação com diversos fatores, mas o principal está relacionado com a fraca estação chuvosa de 2020/2021, que conduziu a umidade do solo a níveis mais baixos do que o usual neste período. Historicamente, agosto, setembro e outubro são os meses que representam cerca de 77% do total de focos no ano e, considerando as condições atuais, podemos prever um período crítico para os próximos meses.

Para minimizar as ocorrências deste tipo em sua área de concessão, a Cemig informou que realiza, todos os anos, campanhas para conscientizar a população dos danos provocados pelas queimadas, que prejudicam não apenas milhares de clientes, mas também destroem a natureza, matam animais silvestres e colocam em risco o patrimônio de pessoas. “As crianças formam um público importante dessas campanhas, pois se sensibilizam mais facilmente e levam para os adultos as informações sobre os cuidados para evitar os danos causados pelo fogo em áreas abertas”, disse a Companhia.

Com a pandemia e as restrições de acesso aos ambientes escolares para palestras e atividades educativas, a Cemig e o Grupo Giramundo de Teatro de Bonecos produziram um vídeo ilustrativo, especialmente voltado ao público infanto-juvenil, alertando sobre os riscos das queimadas para o setor elétrico e a natureza. Nele, os personagens Lék (elétron), Nêu (nêutron) e Ton (próton), representando as partículas subatômicas, batem um papo sobre os danos causados e interagem com animais silvestres que são ameaçados por essa prática. O vídeo, intitulado "Partículas", é uma iniciativa inédita de animação digital do grupo Giramundo e pode ser conferido neste link.

Além de queimar postes e os cabos da rede elétrica - especialmente na área rural -, os incêndios podem causar curtos circuitos que interrompem o fornecimento de energia, podendo prejudicar hospitais, postos de saúde, indústrias, serviços, produção rural e até mesmo cidades inteiras.  

“O aquecimento dos cabos e equipamentos da rede elétrica pode levar ao desligamento de linhas de transmissão, linhas de distribuição e subestações e, pior, causar graves acidentes com pessoas que estão próximas a essas áreas. Portanto, são muitos os transtornos causados para quem depende da energia elétrica que é interrompida pelas queimadas”, explica o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da Cemig, João José Magalhães Soares. 

Um dos maiores desafios para as equipes de campo Cemig, para fazer a manutenção desse tipo de ocorrência, é chegar ao local da rede elétrica atingida. “Normalmente, esses locais são de difícil acesso e em áreas muito amplas. Além disso, levar estruturas pesadas, como torres e postes, em áreas acidentadas torna ainda mais desafiadora a manutenção das redes prejudicadas pelas queimadas. Nosso Estado é muito grande, com muitos relevos e isto dificulta muito os trabalhos de nossas equipes”, afirma. 

Esse tipo de ocorrência também pode prejudicar a geração de energia. As queimadas e os incêndios florestais contribuem para a formação de erosão, vetor responsável por causar o carreamento de solo (terra) e o assoreamento dos reservatórios de abastecimento de água e de geração de energia, bem como os demais cursos de água. "Por isso é importante lembrar: além dos já citados problemas com a falta de energia, há também o prejuízo em relação à água, que é um bem essencial à vida do homem, animais e vegetais", completa João José Magalhães Soares. 

Ações preventivas

Além de campanhas educativas, a Cemig informou que realiza, constantemente, ações preventivas, investindo na limpeza de faixas de servidão, com poda de árvores e arbustos que estão sob as os cabos de energia da Cemig, além da remoção da vegetação ao redor dos postes, torres, subestações e usinas. Em complemento a isso, e com o objeto de antecipar-se a ocorrência de queimadas sob suas linhas de transmissão e distribuição de energia, a Cemig criou um sistema de alerta de queimadas.

Este sistema utiliza dados de satélite e de modelos meteorológicos para identificar, monitorar e prever o deslocamento de focos de queimadas nas proximidades de suas linhas de distribuição e transmissão, permitindo às equipes de campo realizar inspeções em pontos específicos para avaliar os riscos de possíveis desligamentos. Isto permite agir proativamente no combate às queimadas, diminuindo tanto a frequência quanto a duração destes desligamentos. Além disto, Concessionária disse que está finalizando o desenvolvimento de uma ferramenta para identificação de riscos de ocorrência de incêndios relacionadas a aspectos climáticos e humanos, que poderá prover ainda mais informações para as ações de preparo e combate às queimadas.

VEJA TAMBÉM